AUGUSTINÓPOLIS: Vereadores afastados recebem salário de janeiro

Vereadores afastados recebem salário de janeiro
Foto: divulgação

AUGUSTINÓPOLIS: Vereadores afastados recebem salário de janeiro 


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Levantamento realizado pelo Portal Voz do Brasil, aponta que os dez vereadores afastados na Operação Perfídia, deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual, receberam a remuneração do mês janeiro.

Operação Perfídia
Infográfico: Portal Voz do Brasil
A operação que obteve repercussão nacional e protestos por parte dos moradores, desvendou um suposto esquema de cobrança de propina para aprovar projetos enviados pela prefeitura. As investigações denotam que foram desviados cerca de R$ 1,5 milhão dos cofres públicos.
Segundo o Portal da Transparência, os  dez parlamentares afastados e indiciados por corrupção pelo delegado Jacson Wutke, receberam seus salários referente ao mês de janeiro. Todos os envolvidos estão afastados por 180 dias, porém continuam recebendo os subsídios. Isto significa que a folha de pagamento quase que dobrou.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Vereadores alvo da operação e afastados do cargo desde o dia 25 de janeiro: Maria Luisa de Jesus do Nascimento, Antônio Silva Feitosa, Antônio Barbosa Sousa, Antônio José Queiroz dos Santos, Edvan Neves Conceição, Ozeas Gomes Teixeira, Francinildo Lopes Soares, Angela Maria Silva Araújo de Oliveira, Marcos Pereira de Alencar e Wagner Mariano Uchôa Lima. 
Os dez foram indiciados por concussão, corrupção passiva e organização criminosa. Entretanto, nove foram colocados em liberdade no dia 29 de janeiro após vencer o prazo da prisão temporária. Apenas o vereador Antônio Queiroz teve a prisão preventiva decretada após ser considerado foragido da justiça. No entanto, o vereador se entregou na Delegacia de Paraíso do Tocantins, posteriormente, foi transferido para o município de Augustinópolis, onde conseguiu alvará de soltura por meio de um habeas corpus.
O presidente da Câmara, Cicero Moutinho (PR), não é investigado. No entanto, nas conversas telefônicas interceptadas pela justiça, o parlamentar demostra saber do suposto esquema de propina, mas durante uma entrevista para a TV Anhanguera, Moutinho afirmou que estava apenas jogando indiretas no intuito de saber o que estava acontecendo.
Relembre a fala do vereador: “É algo que eu não sabia, como é que se diz, eu não tinha um vínculo a essa situação. Então, eu já comecei a jogar um verde nesses vereadores, onde ocorreram que me envolve nas ligações, para saber o que estava acontecendo”, declarou o presidente da Câmara.
Depois do afastamento dos vereadores, os suplentes tomaram posse e reelegeram Cícero Cruz Moutinho (PR), presidente da Câmara.

Operação Perfídia: Justiça concede habeas ao vereador afastado Antônio Queiroz


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *