Suco de Bacaba contamina 9 pessoas da mesma família com Doença de Chagas no Tocantins

Suco de Bacaba contaminou 9 pessoas da mesma família com Doença de Chagas no Tocantins
Bacaba – doença de chagas – tocantins  – Foto: Infográfico/Portal Voz do Brasil

Suco de Bacaba contamina 9 pessoas da mesma família com Doença de Chagas no Tocantins

– publicidade – 


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


O consumo do suco de bacaba contaminada foi a causa da doença de Chagas em nove pessoas da mesma família, o caso foi registrado no município de Aparecida do Rio Negro, cerca de 70km de Palmas – TO. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde. Os pacientes diagnosticados foram encaminhados para o Hospital Geral de Palmas e no Hospital de Doenças Tropicais de Araguaína.
A doença de chagas é transmitida pelo besouro Barbeiro. A suspeita é que os membros da família tenham consumido o suco contaminado pelas fezes do inseto transmissor. A polpa do fruto é utilizada no preparo do “suco de bacaba”. A polpa é extraída do fruto desta palmeira, a qual dá frutos em cachos com dezenas de caroços. Para a obtenção da bebida, procede-se da mesma forma que no preparo do açaí.
– continua depois da publicidade – 


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Um dos infectados informou que a contaminação pode ter ocorrido durante uma festa realizada no dia do segundo turno das eleições gerais, em 28 de outubro. A maioria dos infectados não mora em Aparecida do Rio Negro e estava reunida porque vota na cidade.
A principal forma de contágio atualmente é a ingestão de açaí e cana-de-açúcar. Devido as plantações desses dois produtos serem o habitat do inseto. Em locais sem uma higiene adequada, ele acaba triturado junto com o fruto arroxeado ou os gomos doces. Cerca de 70% dos casos de Chagas no Brasil já são transmitidos desta maneira. O problema está concentrado na região Norte do país, que soma 91% dos relatos da doença, com especial destaque para o estado do Pará.
Os sintomas surgem de 5 a 14 dias após a contaminação e 30 a 40 dias nos casos de infecção por transfusão sanguínea. Os sintomas da fase crônica da doença só se manifestarão de 20 a 40 anos após a infecção original. Esses sintomas são: febre, mal-estar, inflamação dos gânglios linfáticos, e hepatoesplenomegalia (aumento do fígado e baço).
e-mail: portalvozdobrasil@gmail.com
– publicidade – 


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *